Casos de Arbitragem

CASOS DE ARBITRAGEM

(da autoria de Helena Carvalho e publicados no Boletim do CluVe)

Transcrevemos o texto da edição 141:

Nas provas de preparação Lançamentos, da Associação de Atletismo do Porto, Fev 2017, a indicação, enviada aos clubes e outras associações, dos pesos dos engenhos relativamente ao Dardo Feminino Masters não estava correcta.

O peso dos engenhos, nas provas dos Veteranos, é do desconhecimento de grande parte das Associações, dos juízes e dos atletas, criando por vezes “injustiça” nos resultados.

Aqui vai uma tabela dos pesos dos engenhos e respectivas idades, para atletas femininas, de acordo com as indicações enviados pela WMA:

 

 

 

Transcrevemos o texto da edição 139:

 

REGRA 146 - PROTESTOS E RECURSOS

PROTESTO ORAL – No final da prova dos 3000 m Marcha, W50, realizada nos Campeonatos Masters Europeus de Pista Coberta em Ancona, Abril 2016, verificou-se um protesto da atleta portuguesa, afirmando que tinha dado uma volta a mais e que queria que o resultado fosse corrigido.

O ponto 3. da regra refere - Todos os protestos têm de ser realizados, oralmente ao Árbitro, por um atleta, por alguém em seu nome, ou por um representante oficial de uma equipa. Com o objetivo de tomar uma decisão justa, o Árbitro deverá considerar qualquer prova disponível que julgue necessária, incluindo um filme ou fotografia proveniente de um aparelho de vídeo oficial, ou qualquer evidência de vídeo disponível.

Perante este protesto pediu-se à Sigma, responsável pelo ajuizamento electrónico das provas o respectivo registo da prova da atleta. Veio a verificar-se que a atleta completou a prova sem ter dado qualquer volta a mais.

Transcrevemos o texto da edição 138:

"No campeonato mundial de estrada, um atleta foi desclassificado por um colega lhe ter fornecido uma garrafa de água, fora do local de abastecimento.

A Regra que levou à desclassificação do atleta foi a 240.8 :

b) Em todas as provas terá de ser providenciada água aproximadamente de 5 em 5 km.

d) Como complemento, locais de refrescamento, onde será fornecida água, serão colocados a aproximadamente meio caminho entre os locais de abastecimento ou mais frequentemente, caso as condições climatéricas o justifiquem.

h) Qualquer atleta que seja abastecido num local diferente dos postos de abastecimento será passível de desqualificação".

 

Transcrevemos o texto da edição 140:

 

No campeonato mundial de estrada, um atleta foi desclassificado por um colega lhe ter fornecido uma garrafa de água, fora do local de abastecimento.

A Regra que levou à desclassificação do atleta foi a 240.8 :

b) Em todas as provas terá de ser providenciada água aproximadamente de 5 em 5 km.

d) Como complemento, locais de refrescamento, onde será fornecida água, serão colocados a aproximadamente meio caminho entre os locais de abastecimento ou mais frequentemente, caso as condições climatéricas o justifiquem.

h) Qualquer atleta que seja abastecido num local diferente dos postos de abastecimento será passível de desqualificação.

Transcrevemos o texto da edição 143:

No Campeonato Mundial de Provas Combinadas em Pista Coberta, no Pentatlo Feminino, com 22 atletas, uma atleta pediu na Câmara de Chamada para alterar a série dos 800 m onde ia, para a última série onde iam correr atletas com melhor ranking pois era uma atleta com um tempo de bom nível nessa prova.

O seu pedido não foi atendido devido à regra 200.7:

- Na última prova de uma competição de Provas Combinadas, as corridas deverão ser elaboradas de tal modo que um grupo contenha as atletas melhor classificadas após a

penúltima prova.

Transcrevemos o texto da edição 142:

No campeonato nacional de Portugal, um atleta resolve colocar na pista de balanço, no salto em altura, três marcas pessoais. O Juiz Chefe disse-lhe que só poderia utilizar duas marcas e só as fornecidas pela Organização o que está de acordo com a seguinte regra:

Regra 180 – 3 - Marcas:

Em todos os concursos com corredor de balanço as marcas colocam-se exteriormente ao longo da pista de balanço, com excepção do Salto em Altura em que as marcas podem ser colocadas no seu interior. Um atleta poderá colocar uma ou duas marcas (fornecidas ou autorizadas pela Organização) para o auxiliar na corrida de balanço e na chamada. Se essas marcas não forem fornecidas, um atleta poderá usar fita adesiva mas não giz ou substância similar, nem nada que deixe uma marca indelével.

Copyright © All Rights Reserved